Este percurso, desde Monção a Santiago de Compostela segue a indicação do programa Komoot para touring e só a partir de Redondela é que estamos no Caminho dos Peregrinos.

Quando se tem poucos dias: é possível, sem automóvel, levar a bicicleta e alforges no Inter-cidades até ao Porto, depois apanhar o regional até Caminha e seguir pela ecopista do Minho até Valença (e daqui seguir de imediato um dos caminhos de Santiago) ou continuar pela ecopista até Monção e seguir. Neste último caso:

  1. Monção – Vilasobroso 
  2. Vilasobroso – Pontevedra
  3. Pontevedra – Santiago de Compostela

As bicicletas de viagem são pedelec (bicicleta com ajuda eléctrica – tem sempre de se pedalar). Os alforges da Ortelieb.

Mapa do percurso

A viagem foi realizada entre o Natal e a Passagem de Ano (2018-19). Temperaturas baixas com sol, vestimos sempre impermeável por cima da roupa comum. Valeu muitas vezes o chocolate quente com churros para aquecer as mãos e a alma. Tínhamos casa em Vilasobroso, o que explica esta opção. As noites passadas em Pontevedra e Santiago foram marcadas no mesmo dia, como era época baixa foi fácil, há que dizer sempre que se tem bicicletas e questionar se têm lugar para as guardar.

Monção – Salvaterra – (Ponteareas) Vilasobroso
Monção
Salvaterra de Miño
Picaraña
Vilasobroso
Vilasobroso – Mondariz – Pontevedra
Pontevedra – Caldas de Reis – Padrón – Santiago de Compostela

CAMINHOS BEM MARCADOS

No caminho de volta, há várias possibilidades. Em Santiago, vale a pena procurar o lugar dos peregrinos para obter os mapas de cada percurso. Tanto num sentido como noutro é impossível perdermo-nos do Caminho, exemplarmente marcado, nada a ver com Portugal. Para além de muito bem marcado, raramente vai ao longo da estrada, é que sempre uma via segregada ao tráfego automóvel.  

De bicicleta fazemos três a quatro etapas de quem faz o percurso a pé. Nestes dias de invernia a luminosidade ao longo do dia varia muito e, na volta, mesmo fazendo o mesmo percurso a paisagem é vista de um outro ponto de vista e valeu a pena. No fim ficamos a imaginar como será toda esta paisagem na Primavera. Até lá…